Estadão

De Real para Realidade

i x Efeitos sonoros
Últimas Notícias

Paes segue investigado no STF sobre propina da Odebrecht por contratos da Olimpíada

Leia maisFechar
Breno Pires e Rafael Moraes Moura 19/09/2017, 19h07 Ex-prefeito é citado por delatores em razão de supostos R$ 18,3 milhões em vantagens indevidas em troca da facilitação à empreiteira no âmbito de obras relacionadas aos Jogos de 2016

BRASÍLIA – A Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu, por 3 votos a 2, manter o ex-prefeito do Rio de Janeiro Eduardo Paes (PMDB) como investigado na Corte em um inquérito originado nas delações da Odebrecht. Paes é investigado junto com o deputado federal Pedro Paulo (PMDB-RJ), que foi seu secretário na Prefeitura do Rio de Janeiro, sob a suspeita de recebimento de R$ 18,3 milhões em vantagens indevidas em troca da facilitação de contratos da Odebrecht relacionados à Olimpíada de 2016.

O relator do inquérito, Marco Aurélio Mello, havia decidido enviar as citações a Paes à Justiça Federal do Rio de Janeiro, optando por desmembrar o inquérito em relação ao deputado Pedro Paulo. No julgamento do agravo regimental (recurso) apresentado pela defesa de Eduardo Paes, que queria ficar na Corte, o relator terminou vencido.

“Avançada a instrução, novamente vou atentar para o que o relator entenda sobre a conveniência ou não de ambos permanecerem sob investigação no Supremo. Mas acho que neste momento, diante das alegação de que as condutas eram concertadas, ou seja, que se alternavam, ora como beneficiário, ora como facilitador, eu peço vênia ao eminente relator e estou acompanhando a posição divergente”, disse Roberto Barroso, um dos votos vencedores, junto com Luiz Fux e Rosa Weber.

Receba no seu e-mail conteúdo de qualidade

Logo você receberá os melhores conteúdos em seu e-mail.

Vencido junto com Alexandre de Moraes, Marco Aurélio Mello ironizou a perda na votação. “Sinto-me de qualquer forma lisonjeado em continuar capitaneando o inquérito que envolve o ex-prefeito Eduardo Paes”, disse.

Citações. Eduardo Paes foi citado em depoimentos de três delatores da Odebrecht. O ex-diretor da Odebrecht Infraestrutura Benedicto Barbosa Júnior afirmou que, em 2012, a construtora repassou R$ 15 milhões para o então prefeito do Rio em troca da facilitação de contratos relativos à Olimpíada de 2016.

Segundo o delator Leandro André Azevedo, o ex-prefeito do Rio também teria negociado repasse de R$ 3 milhões da Odebrecht para a campanha a deputado federal de Pedro Paulo (PMDB) em 2010. O delator citou o sistema Drousys, a rede de comunicação interna, uma espécie de intranet, dos funcionários do “departamento da propina” da Odebrecht.

Em 2016, Pedro Paulo foi o candidato de Eduardo Paes à Prefeitura do Rio. O peemedebista foi derrotado no primeiro turno.

Dois anos antes, em 2014, Pedro Paulo teria recebido R$ 300 mil, ‘de maneira oculta, para a campanha à prefeitura’, segundo Benedicto Júnior. O pedido foi intermediado por Eduardo Paes e haveria registro no Sistema “Drousys” de pagamentos a “Nervosinho”.

Ambos os investigados negam irregularidades.

R$ 3.000.000,00 = 36 Ambulâncias
Linhas existentes - 335 km
Linhas que poderiam existir - 934 km
N

São Paulo

10 km
Vacinas dos últimos anos
Vacinas que poderiam ser compradas
Aedes aegypti - transmissor da Dengue / Chicungunya / Zica
Nº de repelente
14.964 casos de 2013 a 2016
1.125 cartelas de Tamiflu
225 casos por H1N1
Foto: André Dusek | Fonte base conversão: Estadão

Neste momento em que o País passa por uma situação crítica, com deficiência de serviços públicos básicos, diariamente há um volume de denúncias e suspeitas de desvio de dinheiro de proporções sempre surpreendentes. Milhares, milhões, bilhões. São cifras tão grandes que fica difícil para os leitores entender a real dimensão do problema. Com a ferramenta “De Real para Realidade”, o leitor vai poder interagir com as matérias do jornal, convertendo as quantias em benefícios como vacinas H1N1, ambulâncias, repelentes, casas populares, quilômetros de metrô, entre outros, conectando as notícias de onde o dinheiro desaparece com as notícias de onde ele está faltando.

Fonte base conversão: Estadão
O valor base de conversão de Ambulâncias é de R$ 82.406, baseado nas fontes fornecidas pelo Estadão Ambulância: R$ 82.406
O valor base de conversão de Caminhões-pipa é de R$ 516 (15 mil litros), baseado nas fontes fornecidas pelo Estadão Caminhão-pipa: R$ 516 (15 mil litros)
O valor base de conversão de Casas Populares é de R$ 200.000, baseado nas fontes fornecidas pelo Estadão Casa Popular: R$ 200.000
O valor base de conversão de Quilômetros de Metrô é de R$ 296.000.000, baseado nas fontes fornecidas pelo Estadão Km de Metrô: R$ 296.000.000
O valor base de conversão de Merendas Escolares é de R$ 2,22, baseado nas fontes fornecidas pelo Estadão Merenda Escolar: R$ 2,22
O valor base de conversão de Quadras Poliesportivas é de R$ 44.450, baseado nas fontes fornecidas pelo Estadão Quadra Poliesportiva: R$ 44.450
O valor base de conversão de Repelentes é de R$ 12, baseado nas fontes fornecidas pelo Estadão Repelente: R$ 12
O valor base de conversão de Tamiflus é de R$ 199 (75mg), baseado nas fontes fornecidas pelo Estadão Tamiflu: R$ 199 (75mg)
O valor base de conversão de Vacinas H1N1 é de R$ 120, baseado nas fontes fornecidas pelo Estadão Vacina H1N1: R$ 120
O valor base de conversão de Viaturas Policiais é de R$ 51.266 (Palio Weekend), baseado nas fontes fornecidas pelo Estadão Viatura Policial: R$ 51.266 (Palio Weekend)