Estadão

De Real para Realidade

i x Efeitos sonoros
Últimas Notícias

Cabral atendia gosto ‘peculiar’ de Adriana com joias ‘poderosas’, diz Procuradoria

Leia maisFechar
Julia Affonso 19/10/2017, 12h47 Em nova denúncia, agora contra os joalheiros fornecedores da mulher do ex-governador, força-tarefa da Lava Jato, no Rio, destaca peças compradas pelo casal, de R$ 300 mil, R$ 174 mil, R$ 320 mil,...

Foto: Reprodução/MPF

Em nova denúncia apresentada à Justiça nesta quarta-feira, 18, agora contra os joalheiros fornecedores Antonio Bernardo e Vera Herrmann, o Ministério Público Federal afirma que o ex-governador do Rio Sérgio Cabral (PMDB) satisfazia o ‘peculiar’ gosto da ex-primeira-dama Adriana Ancelmo com joias ‘exuberantes’ e ‘poderosas’. São acusados formalmente pela força-tarefa da Lava Jato os joalheiros Antonio Bernardo e sua irmã Vera Herrmann.

Documento

A força-tarefa imputa o crime de lavagem de dinheiro aos irmãos. Se forem condenados, como são delatores, eles podem cumprir as penas estipuladas em seus acordos.

Receba no seu e-mail conteúdo de qualidade

Logo você receberá os melhores conteúdos em seu e-mail.

OUTRAS DO BLOG: + Lava Jato quer barrar ressarcimento ao Funcef

OAB diz que governo ‘feriu o Código Penal’ com novas regras do trabalho escravo

+Tribunal desbloqueia bens de Joesley, Wesley e do grupo J&F

Foto: Reprodução/MPF

Foto: Reprodução/MPF

Sérgio Cabral e Adriana já haviam sido denunciados por lavagem de R$ 4,5 milhões em joias. A acusação contra o casal é de 16 de junho.

A nova denúncia aponta que entre 2007 e 2016, Antonio Bernardo e Vera Herrmann concorreram para a prática dos crimes de lavagem de dinheiro por 96 vezes. A Lava Jato afirma que os irmãos auxiliaram e favoreceram ‘a ocultação e dissimulação da origem, natureza, disposição, movimentação e propriedade de bens’ por meio da venda de joias avaliadas em R$ 4.270.270,00.

Segundo a força-tarefa, a joalheria recebeu ‘vultosas quantias em espécie’ sob orientação de Sérgio Cabral, Adriana e do operador Carlos Miranda, ‘invariavelmente sem emissão de notas fiscais e sem identificação no certificado nominal, bem como sem manter adequadamente os cadastros e registros exigidos pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (COAF).

“Nesse contexto de joias de valores vultosos e cores com o gosto da vez encomendadas por Sérgio Cabral para, a um só tempo, esconder o dinheiro da propina cuja guarda física, pelo absurdo volume, era um risco à orcrim, e satisfazer o “peculiar” gosto da sua esposa Adriana Ancelmo, que apreciava peças “exuberantes” e “poderosas” (na impressão apresentada ao Ministério Público Federal pelo denunciado Antonio Bernardo em seu depoimento), destacam-se as seguintes, todas compradas pelo esquema de compensação paralela de cheques em nome de Carlos Miranda”, relacionou a Lava Jato.

A força-tarefa destacou quatro joias. “Anel imperial Passion, a pulseira Soul e o brinco Climax, todos com topázio imperial e diamante fancy, adquiridos pelo valor total de R$ 300 mil no dia 19/12/2012 (próximo ao Natal), anel Blue Cluster Au B e o brinco Blue Cluster Au B adquiridos pelo valor total de R$ 174 mil no dia 13/07/2011 (próximo ao aniversário de Adriana Ancelmo), anel rubro Au B e brinco rubro Au B adquiridos pelo valor total de R$ 320 mil no dia 23/12/2010 (próximo ao Natal) e anel e brinco folhagem com esmeralda Navetes Au B adquirido pelo valor total de R$ 206.010,00 no dia 18/05/2011.”

O Ministério Público Federal aponta que ‘as joias são bens pequenos, fáceis de transportar e com altíssimo valor de mercado’.

“Trata-se, pois, de uma espécie de bem que, além do valor de fruição, permite ao particular a manutenção de uma expressiva reserva de patrimônio oculta das autoridades”, afirma a força-tarefa.

A reportagem tentou contato com o advogado de Sérgio Cabral. O espaço está aberto para manifestação.

COM A PALAVRA, O ADVOGADO RENATO DE MORAES, QUE DEFENDE ADRIANA ANCELMO

A defesa de Adriana Ancelmo refuta as referências a seu nome no contexto da denúncia mencionada, confiando que a Justiça reconhecerá, no processo a que já responde, a improcedência da acusação de lavagem de dinheiro por meio de aquisição de jóias.

R$ 4.500.000,00 = 22.613 Tamiflus
Linhas existentes - 335 km
Linhas que poderiam existir - 934 km
N

São Paulo

10 km
Vacinas dos últimos anos
Vacinas que poderiam ser compradas
Aedes aegypti - transmissor da Dengue / Chicungunya / Zica
Nº de repelente
14.964 casos de 2013 a 2016
1.125 cartelas de Tamiflu
225 casos por H1N1
Foto: Fábio Motta | Fonte base conversão: Estadão

Neste momento em que o País passa por uma situação crítica, com deficiência de serviços públicos básicos, diariamente há um volume de denúncias e suspeitas de desvio de dinheiro de proporções sempre surpreendentes. Milhares, milhões, bilhões. São cifras tão grandes que fica difícil para os leitores entender a real dimensão do problema. Com a ferramenta “De Real para Realidade”, o leitor vai poder interagir com as matérias do jornal, convertendo as quantias em benefícios como vacinas H1N1, ambulâncias, repelentes, casas populares, quilômetros de metrô, entre outros, conectando as notícias de onde o dinheiro desaparece com as notícias de onde ele está faltando.

Fonte base conversão: Estadão
O valor base de conversão de Ambulâncias é de R$ 82.406, baseado nas fontes fornecidas pelo Estadão Ambulância: R$ 82.406
O valor base de conversão de Caminhões-pipa é de R$ 516 (15 mil litros), baseado nas fontes fornecidas pelo Estadão Caminhão-pipa: R$ 516 (15 mil litros)
O valor base de conversão de Casas Populares é de R$ 200.000, baseado nas fontes fornecidas pelo Estadão Casa Popular: R$ 200.000
O valor base de conversão de Quilômetros de Metrô é de R$ 296.000.000, baseado nas fontes fornecidas pelo Estadão Km de Metrô: R$ 296.000.000
O valor base de conversão de Merendas Escolares é de R$ 2,22, baseado nas fontes fornecidas pelo Estadão Merenda Escolar: R$ 2,22
O valor base de conversão de Quadras Poliesportivas é de R$ 44.450, baseado nas fontes fornecidas pelo Estadão Quadra Poliesportiva: R$ 44.450
O valor base de conversão de Repelentes é de R$ 12, baseado nas fontes fornecidas pelo Estadão Repelente: R$ 12
O valor base de conversão de Tamiflus é de R$ 199 (75mg), baseado nas fontes fornecidas pelo Estadão Tamiflu: R$ 199 (75mg)
O valor base de conversão de Vacinas H1N1 é de R$ 120, baseado nas fontes fornecidas pelo Estadão Vacina H1N1: R$ 120
O valor base de conversão de Viaturas Policiais é de R$ 51.266 (Palio Weekend), baseado nas fontes fornecidas pelo Estadão Viatura Policial: R$ 51.266 (Palio Weekend)