Estadão

De Real para Realidade

i x Efeitos sonoros
Últimas Notícias

Ex-assessor de Geddel e Lúcio diz ter feito ‘coletas’ de dinheiro na Odebrecht

Leia maisFechar
Fabio Serapião e Beatriz Bulla / BRASÍLIA 18/11/2017, 15h07 Irmãos são delatados por executivos da empreiteira; Job Ribeiro Brandão, homem de confiança dos peemedebistas preso na Operação Tesouro Perdido, confessou ter operado repasses

Geddel em sua primeira audiência de custódia, quando foi preso por suposta pressão para evitar que o doleiro Lúcio Funaro firmasse acordo com a Procuradoria para confessar seus crimes. Foto: Reprodução de vídeo da 10ª Vara Federal de Brasília

O ex-assessor parlamentar do deputado Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA), Job Ribeiro Brandão, afirmou em depoimento à Polícia Federal e à Procuradoria-Geral da República (PGR) que fez “coletas de dinheiro em espécie” na sede da Odebrecht em Salvador (BA).

+ Raquel se opõe a acesso de Geddel ao denunciante do bunker dos R$ 51 mi

Ele disse ter ido “cerca de 5 ou 6 vezes” na sede da empreiteira ontem esteve “com uma senhora de nome Lúcia com quem pegou dinheiro em espécie nessas ocasiões”. As coletas foram feitas a pedido do ex-ministro Geddel Vieira Lima e de Lúcio, segundo depoimento ao qual o Estado teve acesso.

Receba no seu e-mail conteúdo de qualidade

Logo você receberá os melhores conteúdos em seu e-mail.

+ Geddel e Lúcio ficavam com 80% do meu salário, diz homem de confiança

Segundo Brandão, Lúcio orientou que ele procurasse a “sua xará no prédio da Odebrecht”. Ele foi informado de que o dinheiro eram “doações de campanha”. Lúcia da Odebrecht era Maria Lúcia Tavares, delatora e ex-secretária do Setor de operações estruturadas da Odebrecht. O depoimento dela que levou a Lava Jato ao chamado ‘departamento de propina’ da empreiteira baiana.

+ Ex-assessor diz à PF que contava dinheiro vivo do posto de Lúcio Vieira Lima

Job Brandão tem intenção de fazer um acordo de colaboração premiada. Ele virou alvo da Tesouro Perdido após a PF identificar suas digitais em parte dos R$ 51 milhões encontrados. O ex-ministro e o deputado Lúcio Vieira Lima são investigados pelo crime de lavagem de dinheiro.

+ Ex-assessor diz que contava maços de até R$ 100 mil para Geddel

Lúcio Vieira Lima é alvo de um dos inquéritos abertos com base na delação de executivos da Odebrecht, suspeito de ter recebido R$ 1 milhão da empreiteira para ajudar na aprovação de legislação favorável aos interesses da companhia.

O nome de Geddel também é um dos citados em depoimentos de executivos da Odebrecht, sob suspeita de recebimento de propina enquanto esteve à frente do Ministério da Integração Nacional. Recentemente, o também delator Lúcio Funaro afirmou em acordo de colaboração premiada que o presidente Michel Temer dividiu com Geddel propina da Odebrecht. O presidente nega envolvimento em qualquer irregularidade.

Procurado pelo Estadão, Marcelo Ferreira, advogado de Job, declarou que “tem uma especial preocupação com a segurança de Job e que tem por objetivo demonstrar que sua condição de vida é totalmente incompatível com a renda de um secretário parlamentar”. Para o advogado, o ex-assessor é “vítima da situação e que, além da liberdade, pretende buscar, judicialmente, o ressarcimento dos valores de seu salário que era obrigado a repassar à família Vieira Lima”.

A defesa de Geddel Vieira Lima e o deputado Lúcio Vieira Lima não atenderam contatos da reportagem até o momento.

R$ 51.000.000,00 = 256.281 Tamiflus
Linhas existentes - 335 km
Linhas que poderiam existir - 934 km
N

São Paulo

10 km
Vacinas dos últimos anos
Vacinas que poderiam ser compradas
Aedes aegypti - transmissor da Dengue / Chicungunya / Zica
Nº de repelente
14.964 casos de 2013 a 2016
1.125 cartelas de Tamiflu
225 casos por H1N1
Foto: Fábio Motta | Fonte base conversão: Estadão

Neste momento em que o País passa por uma situação crítica, com deficiência de serviços públicos básicos, diariamente há um volume de denúncias e suspeitas de desvio de dinheiro de proporções sempre surpreendentes. Milhares, milhões, bilhões. São cifras tão grandes que fica difícil para os leitores entender a real dimensão do problema. Com a ferramenta “De Real para Realidade”, o leitor vai poder interagir com as matérias do jornal, convertendo as quantias em benefícios como vacinas H1N1, ambulâncias, repelentes, casas populares, quilômetros de metrô, entre outros, conectando as notícias de onde o dinheiro desaparece com as notícias de onde ele está faltando.

Fonte base conversão: Estadão
O valor base de conversão de Ambulâncias é de R$ 82.406, baseado nas fontes fornecidas pelo Estadão Ambulância: R$ 82.406
O valor base de conversão de Caminhões-pipa é de R$ 516 (15 mil litros), baseado nas fontes fornecidas pelo Estadão Caminhão-pipa: R$ 516 (15 mil litros)
O valor base de conversão de Casas Populares é de R$ 200.000, baseado nas fontes fornecidas pelo Estadão Casa Popular: R$ 200.000
O valor base de conversão de Quilômetros de Metrô é de R$ 296.000.000, baseado nas fontes fornecidas pelo Estadão Km de Metrô: R$ 296.000.000
O valor base de conversão de Merendas Escolares é de R$ 2,22, baseado nas fontes fornecidas pelo Estadão Merenda Escolar: R$ 2,22
O valor base de conversão de Quadras Poliesportivas é de R$ 44.450, baseado nas fontes fornecidas pelo Estadão Quadra Poliesportiva: R$ 44.450
O valor base de conversão de Repelentes é de R$ 12, baseado nas fontes fornecidas pelo Estadão Repelente: R$ 12
O valor base de conversão de Tamiflus é de R$ 199 (75mg), baseado nas fontes fornecidas pelo Estadão Tamiflu: R$ 199 (75mg)
O valor base de conversão de Vacinas H1N1 é de R$ 120, baseado nas fontes fornecidas pelo Estadão Vacina H1N1: R$ 120
O valor base de conversão de Viaturas Policiais é de R$ 51.266 (Palio Weekend), baseado nas fontes fornecidas pelo Estadão Viatura Policial: R$ 51.266 (Palio Weekend)